fbpx
(11) 98940-4096 contato@delvinoclub.com.br

Rota do Vinho em São Roque

Conhecer regiões produtoras de vinhos e uvas viníferas, bem como frequentar vinícolas é um dos hobbies mais indicados para os apaixonados por vinho e curiosos por sua história. Pensando nisso, hoje falaremos da Rota do Vinho em São Roque, também chamada como Roteiro do Vinho.

Localizada a cerca de 60 quilômetros de São Paulo (capital), São Roque é conhecida como a Terra do Vinho, pois possui dezenas de vinícolas instaladas na região. Logo, um dos principais atrativos da cidade é a Rota do Vinho. Com 10 quilômetros de extensão, a Rota do Vinho em São Roque possui três vias com mais de 30 estabelecimentos em meio às belezas preservadas da natureza. Ao longo do seu caminho, é possível conhecer vinícolas, degustar vinhos que acabaram de ser fabricados, colher uvas e se deliciar com restaurantes que possuem variedades de pratos para harmonizar bem com os vinhos. É possível conhecer a Rota do vinho em São Roque em apenas um dia. Ou, se preferir, mais alguns dias para conhecer mais de um restaurante, por exemplo, e para quem busca mais tempo de lazer, já que a região conta também com pousadas, fazendas, pesqueiros e ranchos. 

Ideal para ir de automóvel, a Rota do Vinho é formada pela Rodovia Quintino de Lima, Estrada do Vinho e Estrada dos Venâncios. E é aberta ao público de forma gratuita. Próximo à rota do vinho, também dá para visitar produções de hortaliças e alcachofras, que se desenvolvem muito bem na região devido ao seu clima. 

São Roque e sua história com os vinhos 

Você deve ter se perguntado por que a Rota do Vinho em São Roque é tão conhecida. Isso deve-se pela longa relação da cidade com os vinhos, desde seus primeiros povoados até atualmente. Tudo começou no século 17, quando o fundador da cidade plantou o primeiro vinhedo no local. Vamos aos detalhes!

São Roque foi fundada em agosto de 1657 pelo capitão paulista Pedro Vaz de Barros, que também era conhecido por Vaz Guaçu, o Grande. A cidade recebeu o nome de São Roque, pois o fundador era devoto deste santo. E encantado pela região, Pedro se estabeleceu com sua família e, juntamente com mais de mil índios às margens dos ribeirões Aracaí e Carambeí, passou a cultivar trigo e uva. 

Apesar disso, tempos depois, imigrantes portugueses e italianos chegaram à região e cobriram as encostas dos morros com vinhedos e instalaram suas adegas ali. Transformando São Roque na tão conhecida Terra do Vinho paulista. Em 1681, Fernão Paes de Barros, irmão do fundador da cidade, construiu a Casa Grande e a Capela de Santo Antônio — que serviu de parada e pousada aos Bandeirantes em expedição em busca de ouro e esmeraldas no Rio Tietê. 

Alguns anos se passaram e, com o crescimento e desenvolvimento da população ali, em 1832, São Roque se tornou uma vila. Já em 1864 subiu à categoria de município. Contudo, em 1990, seu potencial se destacou devido ao cenário histórico, artístico, ecológico e cultural que a cidade possuía, ganhando o título de Estância Turística. 

Além de toda sua trajetória e história com a produção dos vinhos na região, São Roque possui ampla área verde, o que contribui para paisagens únicas e um clima serrano, mesmo estando próximo à capital. Devido a isso, possui boa infraestrutura para a rede hoteleira, restaurantes variados e amplo comércio. 

Quais vinhos são produzidos por lá?

A maioria dos vinhos nacionais são conhecidos por “vinhos de mesa”. Isso porque são produzidos com as uvas do tipo americanas. Esses tipos de uva são consumidos comumente in natura e também são utilizados para a produção de suco de uva. As uvas que são destinadas para a produção de vinhos de mesa são a uva Niágara, Bordô, Isabel e Concord, por exemplo. Visualmente possui uma casca mais fina do que as uvas do tipo viti viníferas — mais cultivadas para a produção de vinhos europeus. 

Sendo assim, as produções em São Roque também seguem essa tradição de vinhos de mesa, sendo um padrão nacional. Contudo, há algumas vinícolas que passaram a ampliar suas variedades nos vinhos, inclusive em São Roque, buscando desenvolver a cultura dos vinhos finos, além dos vinhos de mesa, atraindo novos consumidores e enófilos. Consequentemente, melhorando a qualidade das marcas vinícolas. 

5 Vinícolas existentes na Rota do Vinho em São Roque

Ao longo de toda sua extensão, a Rota do Vinho em São Roque conta com dezenas de vinícolas que merecem ser conhecidas. Cada uma possui uma característica especial e que se destaca das demais. Hoje optamos por destacar cinco vinícolas apenas para te inspirar a conhecer o local assim que puder! Confira abaixo um pouco sobre cada uma delas:

Adega Terra do Vinho 

Localizada no quilômetro 1 da Estrada do Vinho, a Adega Terra do Vinho foi fundada pela Família Oliveira Santos, que adentrou no universo dos vinhos em 1966 e até hoje marca presença ali, com cantina e espaço para degustação. Prezando pelo bom atendimento, a Adega possui vinhos de mesa, vinhos finos, muçarela com ervas, parmesão, lombinho com azeitonas, entre outras opções para harmonizar bem com as bebidas ali oferecidas. Além disso, conta com uma loja de souvenirs e mesas ao ar livre.

Vinícola Canguera 

Fundada na década de 1950, a Vinícola Canguera também se destaca na Rota do Vinho em São Roque. Além dos tradicionais vinhos de mesa, a vinícola produz sucos de uva e possui o Restaurante Villa Canguera, com pratos diferenciados e que trazem todos os aspectos da região. 

Com espaço acolhedor, a Vinícola Canguera realiza visitas guiadas. Diariamente, com horários específicos, é possível conhecer a propriedade acompanhado por um enólogo, que explica o processo de cultivo e fabricação dos vinhos na vinícola. 

Embora os vinhos de mesa sejam o forte da região, a Vinícola Canguera também produz vinhos finos, como Cabernet Sauvignon, Tannat, Merlot, vinhos branco, com uva Moscato Giallo, e espumantes Brut e Moscatel. 

Vinícola Góes 

Desde 1938, a Vinícola Góes, fundada pela família de Gumercindo Góes, é uma das pioneiras no ramo de vinhos do Brasil. Mantendo o mesmo cuidado artesanal, a Vinícola Góes preza pela qualidade e tradição, atraindo consumidores dos mais variados perfis, já que produz vinhos mais simples até vinhos finos, com uvas Cabernet ou Merlot, espumantes, coolers, sucos e outras opções. 

A instalação em São Roque é a matriz da Vinícola Góes, que também possui uma unidade produtora na serra gaúcha. Sua infraestrutura é moderna e possui capacidade para produção de cerca de 10 milhões de litros por ano. 

Com espaço amplo, bom atendimento e preços convidativos, proporciona aos turistas e visitantes uma variedade de atrações, desde visita guiada à vinícola, degustação completa da linha de vinhos, até espaços de lazer e área verde que contribuem para lindas fotos. 

Vinícola XV de Novembro

Fundada há cerca de 60 anos por Brasílio Augusto de Moraes, a Vinícola XV de Novembro é administrada pelo filho e pelo neto de Brasílio. Sua produção é feita a partir de vinhedos selecionados e cultivados com grande atenção e cuidado pela terra e pelas uvas. 

Com o lançamento da marca Quinta Moraes, em 2008, a XV de Novembro ampliou seu catálogo com uma variedade de vinhos finos, visando agradar novos paladares e valorizar a experiência na degustação de um vinho bem elaborado e de qualidade. Em 2019, a vinícola em São Roque foi reformada para melhor atender os clientes, com novo espaço de vendas e degustação.

Vinícola Sorocamirim

A Vinícola Sorocamirim foi fundada há mais de 60 anos por Gentil Augusto de Moraes. O interesse pelos vinhos surgiu quando criança, pois Gentil passou a trabalhar no ramo com seu pai. Desde a década de 50 até os dias atuais, a Vinícola Sorocamirim mantém sua tradição na produção de seus vinhos com padrão artesanal, com o mesmo processo que deu origem e tornou a marca famosa. Produzem cerca de 80 mil litros por ano entre as linhas Tradicional, Monte Carlos, Classic e Adeguinha. 

Unindo enoturismo, gastronomia e lazer: o que fazer na Rota do Vinho em São Roque? 

Além de conhecer as vinícolas mencionadas anteriormente, a Rota do Vinho em São Roque possui uma variedade de estabelecimentos para conhecer. Sendo uma excelente oportunidade para conhecer de perto a história e tradição dos vinhos nacionais, além de estar próximo à natureza. Confira abaixo seis paradas obrigatórias para quem vai passar mais dias na Estância Turística:

Vila don Patto

A Vila don Patto é conhecida como o maior complexo de gastronomia da cidade de São Roque. Isso porque engloba ambientes diversos, como adega, empório, loja de artesanatos, barco cenográfico, sorveteria, cafeteria, playground, heliponto e restaurantes que servem pratos portugueses e italianos. Possui sua própria linha de vinhos, com mais de 100 anos de tradição na região, mas também oferta vinhos de outras marcas famosas, tanto nacionais quanto importados. É, sem dúvidas, um espaço que agrada pessoas de todas as idades. 

Cervejaria e Destilaria Stoliskoff

Para quem gosta de outros tipos de bebidas alcoólicas, é parada obrigatória passar na Stoliskoff. Fundada em 2007, possui destilados e fermentados com forte presença de aroma e sabor. Além da famosa vodka, a Stoliskoff produz gin, whisky, saquê, cachaça e tequila. Ademais, em 2016, foi inaugurado a parte de cervejas, com a produção de chopp e cervejas artesanais. Para quem não estará comandando o volante, degustar suas bebidas é o indicado, além de visitar e apreciar suas instalações modernas. 

Alcachofra Bonsucesso

São Roque também é conhecida pelas suas plantações de alcachofra. Logo, conhecer produtos típicos da região, além dos vinhos, também faz parte da Rota do Vinho. Alcachofra Bonsucesso é um estabelecimento com produtos de fabricação própria a base de alcachofras, como conversas finas, patês e variedades de congelados, como quiches, tortas e massas. Além disso, oferece os famosos fundos de alcachofras e doces artesanais. 

Localizado no Sítio Cacique, na Estrada do Vinho, o estabelecimento está em meio a uma vasta plantação de alcachofras. Ademais, recebe grupos para almoço por meio de agendamento e também atende restaurantes, buffets e empórios com preços diferenciados. 

Centro de Pesca Taquari

Para quem gosta de pescar, deve fazer uma visita ao Centro de Pesca Taquari. Localizado na Estrada do Vinho, possui 18 chalés com ótima estrutura para receber os turistas e visitantes, com acesso exclusivo à piscina, campo de futebol, salão de jogos, entre outras atrações internas. 

O Centro de Pesca Taquari proporciona aos amadores da pesca esportiva emoções únicas e inesquecíveis que devem ser captadas pelas lentes de uma câmera e também guardadas na memória. Os peixes que habitam o lago são bem tratados e ganham peso em dia, aumentando o desafio de pescá-los. O destaque de lá vai para os tambas, que pesam cerca de 35 quilos. Mas, além deles, há variedades de peixes pintados, dourados, catfishes, piaus, carpas, pacus, tilápias, entre outros. 

Fazenda Angolana (Parque de Animais)

Para quem vai conhecer a Rota do Vinho com crianças deve ter um momento de lazer e diversão na Fazenda Angolana, que fica próximo dali, e proporciona contato direto com animais, trazendo um clima único de fazenda. Com funcionamento exclusivo às sextas-feiras, sábados, domingos e feriados, das nove às 17 horas, a Fazenda Angolana possui estacionamento gratuito e entrada com valor convidativo, inclusive, crianças até 10 anos não pagam. 

Seu espaço inclui restaurantes à la carte e fogão à lenha, além de um zoológico com mais de 150 tipos de animais, passeio de pônei, pedalinhos, tirolesa, arvorismo, cafeteria, trilha ecológica, aldeia indígena, playground, aldeia de coelhos, piscina de bolinhas e cama elástica. 

Capela da Grama e Casa do Artista e Artesão 

A Capela da Grama foi a primeira capela da região de Sorocamirim construída por familiares que moraram lá há mais de 150 anos. Recebeu este nome devido ao intenso gramado que havia na frente. Seu espaço já foi sede de novenas, leilões e até mesmo grandes festas. 

Em 2018, a Casa do Artista e Artesão se juntou à comunidade a fim de divulgar a história da Capela, sendo este o responsável por visitas monitoradas, além de expor artesanatos à venda nos galpões próximos à Capela. Lá também existe um projeto baseado na economia solidária, que abre espaço para pequenos produtores da região, possibilitando que comercializem seus produtos. 

Enoturismo e conhecimento

Para quem deseja conhecer mais sobre os vinhos, visitar lugares como a Rota do Vinho em São Roque é um dos primeiros passos para receber informações direto da fonte: enólogos e produtores das vinícolas, unindo o turismo por lazer com conhecimento a respeito da história dos vinhos nacionais, por exemplo. Pensando em disseminar estes conteúdos, a Del Vino possui o Curso de Vinhos Com Degustação, recomendado para iniciantes no tema e também para quem já tem leve noção sobre a bebida. 

Crédito das fotos: Portal Roteiro do Vinho

× Como Podemos Te Ajudar?