fbpx
vinho e mitologia

O vinho e mitologia estão ligados há milhares de anos. Essa bebida histórica sempre esteve associada a um caráter mágico e místico. As primeiras referências datam de 4.000 a.C. e permaneceram até hoje. Como exemplo, se pensarmos na celebração cristã da Eucaristia, o vinho atinge o máximo significado, simbolizando o sangue de Cristo.

Outras culturas e religiões também foram capazes de contribuir para essa visão singular do vinho. Veja alguns exemplos.

HATHOR, A DEUSA EGÍPCIA

O Egito, como sabemos, é muito importante no que diz respeito ao vinho. Os antigos egípcios, não apenas inventaram as primeiras técnicas de colheita e guarda do vinho, mas também lançaram os fundamentos da metodologia de envelhecimento do vinho.

Hathor é a deusa menos conhecida das divindades do vinho, no entanto, é uma figura de grande relevância na mitologia egípcia. Sua contribuição é tamanha que, de acordo com obras arqueológicas, a sua figura foi a mais gravada nas ânforas destinadas a guarda do vinho. Considerada a deusa da alegria, do vinho, da música e da dança; o nome de Hathor tinha um significado ainda mais profundo: a mãe divina que renova tudo o que existe. 

DIONÍSIO, O DEUS GREGO DO VINHO

Filho do grande Zeus, pai de todos os deuses gregos; e de Sémele, uma filha mortal do rei de Tebas, Dionisio é representado na mitologia grega como uma pantera, um leopardo ou um cacho de uvas.

Diz a lenda que Dionísio teria descoberto a viticultura e se dedicado a ela. Sua figura encarna vários significados: festividades, teatro, dança, prazeres e, é claro, vinho. 

BACO, DEUS DO VINHO NA ANTIGA ROMA

Baco é o deus do vinho mais conhecido e passou para a posteridade imortalizado em uma infinidade de pinturas e obras artísticas.  O Deus Baco é uma adaptação da Roma Antiga que representa o mitológico deus grego Dionísio. 

Durante os anos da sua conquista territorial, os romanos uniram os deuses locais com as divindades gregas, dando-lhes um novo nome e tornando-os mais semelhantes às características de sua cultura. 

Considerado o deus do vinho, festividades e folia, seu caráter divino se deve ao fato de que, segundo a lenda, ele passou os primeiros anos de vida e foi instruído, em sua infância, em uma viticultura.

Seu mestre era Silenus, um deus romano menor que ficou marcado por seus excessos com o álcool. Ao tornar-se adulto, ele descobriu a forma de extrair o suco da uva e produzir o vinho. Com inveja, a deusa Juno transformou Baco num louco que vagava pelo mundo. No final de sua vida foi curado e instruído nos rituais religiosos pela deusa Cibele.

E você conhece alguma história antiga ligada ao vinho?

Venha aprender mais sobre vinhos!

× Como Podemos Te Ajudar?